8 de jan de 2008

ROUPA SUJA

FOTO: J.Machado - Cangas - 2008
A viagem foi longa e ao lar agora retornei.
Eu estava distante, aquém do que gostaria.
Talvez um pouco além do que imaginava.
...
Peregrinei por lugares ainda desconhecidos.
Desci por longos e acidentados caminhos.
Até chegar ao meu novo destino desejado.
...
Não fui em busca de algo ou mesmo alguém.
Se foi pra me encontrar, digo que me perdi.
Foram dias de felicidade e euforia desmedida.
...
Senti sob os meus pés a areia das estrelas.
Mergulhei cegamente num mar de ilusões.
Pra não perder o hábito, afoguei as mágoas.
...
O sol foi o meu grande amigo de todos os dias.
Os excessos e exageros se tornaram a rotina.
Faltavam só alguns dias para o fim do mundo.
...
Num dia fui um palhaço, noutro fiz dramalhão.
Tive ilusões momentâneas e dias de frustração.
Vi o passado por dois centésimos do presente.
...
Tropecei nas pedras das antigas e escuras ruas.
Sentei na calçada e tratei o cansaço numa sarjeta.
Sobre uma mesa observei o balé da multidão.
...
Chegou a hora do regresso, tudo um dia acaba.
Sujei uma pilha de roupas, várias em um só dia.
Voltei apenas para lavar a vestimenta cotidiana.
...
Estendidas no varal, as roupas secam ao vento.
Balançam suavemente como se fossem novas.
Pra serem manchadas novamente com a nódoa da vida.

2 comentários:

  1. parece que lendo sobre cangas eu estou conversando com vc .é a sua cara ou seja é vc .um grande beijo e que este ano que se inicía seja repleto de cosas boas .


    sol

    ResponderExcluir
  2. "Eu preciso andar
    Um caminho só
    Vou buscar alguém
    Que não sei quem sou"

    Arrebatador, sobretudo o final!
    Abs!

    ResponderExcluir