3 de nov de 2011

PRA QUÊ? TEM QUE CONTINUAR...


A uma da madrugada, em uma noite insone - que na verdade nem sei se ainda o é, pois nem tentei dormir - fico aqui a pensar na vida, a olhar a tela infinita deste lap top e a ver vídeos de "chegadas e partidas".
Por vezes, somente pra não admitir que é frequente, debulho-me em lágrimas. Vejo o quanto é bom um abraço, o quanto é gostoso ser esperado, o quão valoroso é o ir e voltar.
Ouço uma frase de uma senhora que diz assim: "queria sentir esta plenitude sempre". Disse isso ao abraçar a neta que há muito não via.
Penso no quanto é bom o mais simples, penso na gostosura desta noite fria, que somente é boa pois consigo me aquecer sob meu cobertor. Penso no quanto é bom me cuidar, cuidar de alguém, correr, nadar, olhar no espelho e admirar o tricepzinho que surge tímido e rígido enfim.
Lembro, sobretudo neste dia que é o de finados, daqueles saudosos marcantes, que tanto me fizeram rir e chorar de alegria. Agradeço a Deus por tê-los tido comigo e por sempre estar com eles em pensamento.
Agradeço também por ter como driblar e superar momentos ruins.
A vida é boa mesmo, parece um clichê, mas depois de tanto reclamar e aprender, e também perceber que um sorriso é mil vezes melhor que um "bom dia" mal falado e que a raiva só prejudica quem a sente, essa é a única conclusão a que se é possível chegar.
Ainda não descobri aonde fica o botão do "foda-se".
E que Deus sempre nos proteja!
Amém.

Um comentário: