29 de out de 2010

URSO POLAR - A MISSÃO

O velho urso polar, ser naturalmente cordial, mas conhecedor dos mais diversos venenos e portador de uma cegueira seletiva ocasional e recorrente, ultimamente anda preocupado com sua atrofia cerebral.
Acamodou-se após comprar um tubo de pasta de dentes pra evitar a halitose caso o apocalipse chegasse. Entediadíssimo, voltou a se irritar com o grasnido reverberante dos animais com quem era obrigado a conviver. Sua frustração o fez abusar da cafeína e dos calmantes. A impaciência fusilava o que estivesse no seu campo visual.
Atinou-se, estaria caducando?
Próximo dos enta, pupilo de Balzac como sempre se orgulhava em dizer, temia neuropatias degenerativas e cefaléias hidrocefálicas normotensivas. É uma pena não ser burro, assim não sofreria tanto.
Quase sem direção, jogou xadrez e sudoku e abusou de antioxidantes. Seu oráculo lhe dissera fazer bem. Desisitu no meio do caminho, como o fez com o Mundo de Sofia, só que na página 35. 
Eita Pai do céu, ai mãe natureza, o que se há por fazer? Senhor urso queria ser inteligente o suficiente pra saber. Na última vez, um tubo de pastas de dentes resolveu.
Lança chamas? Um super truck? Gás mostarda? Até riu de tão absurdos.
...
Por fim, assumiu sua loucura, comprou um par de tênis, uma revista de futilidades e um GPS e sentou no banco da praça. Esperava apenas que não fosse notado e levado pela primeira carrocinha que surgisse.
...
E que Deus me livre de tanta asneira!

Um comentário:

  1. Fiquei muito curiosa...
    Quem seria esse urso polar???
    Quero crer que ele está mais aos trópicos, ainda assim gélido.
    Acertei?

    Bacione,
    Cris

    ResponderExcluir