7 de mai de 2009

A VIAGEM DE BALZAC

FOTO: Yellow Wayfarer Glasses Retro 80's

Depois de algum tempo, a vida passou a ser fácil. Vidas vazias, sorrisos fáceis e banquetes regados a vinhos caros e promessas remotas. Alegrias transitórias e fins de noite desertos. Noites em claro, textos longos e grotescos erros gramaticais.
Lembranças da infância, das inúmeras vidraças quebradas, de momentos de radicalismo e punições gratuitas, das guerras com semente de mamona, dos piques, do “Pogobol”, da TV Manchete e dos desconhecidos Abelhudos do rabanete radioativo.
Nunca teve o seu “aviator” ou “wayfarer”, mas legitima-se no seu velho Ray Ban de grau e armação preta. Da Conga pro Redley, com um deslize pequeno no M2000 de sola verde limão que teve seu fim numa festa brega. Agora com mocassin com sola de madeira.
Vence o que tem que vencer e assim é feliz. Conta o tempo nos relógios “troca-pulseiras”, conta o movimento, arrepende-se por perdoar. Sente-se tolo por ignorar o que de mal lhe é feito, reluta em mudar, mas não troca o jeans surrado e a camisa branca.
É obrigado a comemorar. Tanto tempo já e agora sim concretiza tudo o que lhe foi um dia prometido. Duras penas, grandes amigos e pequenos brotos sinalizando uma raiz. Foram-se os “long plays”, as festas dance e as matinês de domingo a tarde, ficaram os CD’s, os MP3, 4, 5 e lá vai.
Uma viagem pra longe, pra não sei onde, não mais no Fusca azul celeste 1300, aonde se disputava lugar com a mala. Pro paraíso ou pro mar, pro bazar ou para um bar. Não importa se só, mas num bom quarto escuro e gelado. Sem hora e desmedidamente. Feliz, vazio e efêmero, sem culpa e nenhum compromisso.
Com a burra cheia, uma carteira azul OP de nylon, mas com egoísmo a perder de vista e um cartão de crédito gold. Com uma unicidade de um só. Sem nenhuma importância, pelo menos por agora. Em paz pelo menos. Saudável e mais leve, até na mente.
E assim, segue só, em sua unicidade convicta, descrente na unicidade de dois. Livre e tranqüilo, em paz. Segue só, de malas menores e mais leves, em sua melhor e mais longa viagem.

Um comentário:

  1. Cara, sensacional esse...
    Eu fiquei aqui viajando, lembrando disso tudo, algumas dessas coisas também me remetem a muitas recordações!
    Muito bom isso, muito boa essa relação, ficou tudo tão rico, tão colorido, mesmo os sentimentos confusos, tudo misturado, no final parece um clipe muscial.
    Sensacional...

    ResponderExcluir