14 de mai de 2008

SOBRE O TEMPO

FOTO: Site Google
Tantos marcos, tantas datas. Pouco tempo.
Anos de vida, tempos de Balzac.
A cada década, um novo animal e um pouco de peso.
No fim, um zoológico de exemplos.
...
Traiçoeiro, enganou-me quando pedi que fosse rápido.
Percebi que havia passado sem nada mudar.
Agora é irritantemente lento pois lhe peço.
E se de você preciso, sempre me deixa na mão.
...
A vida é assim, surpreendente em suas regras.
No primeiro momento um olhar.
Em um mês e um dia se ganham os bombons.
E seguimos no aguardo das próximas fases.
...
Rituais, bilhetes antigos e cenas de dias felizes.
Fotos, roupas de bebê e o primeiro brinquedo.
Hoje são apenas paisagens e abstratos.
Gavetas cheias de contas e dias ainda felizes.
...
Ai, ai meu pai eterno!
É tanto, que de tanto as vezes me perco.
São minutos e contagens regressivas, prazos.
Horas a fio e os ponteiros seguem sem parar.
...
As rugas, meus parcos cabelos brancos.
Tempo carrasco e anjo, que arranca e cura.
Faz de mim, por apenas um minuto, seu senhor.
Não fuja, pois não quero mais suas marcas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário